MENU

Cuidados com o Aedes aegypti devem ser intensificados durante o verão

Central de Notícias

Com a chegada do verão, é preciso redobrar os cuidados para eliminar os focos do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. O aumento das temperaturas, somado às chuvas características da estação, propicia a proliferação do temido mosquito. Diante disso, é importante que todos, inclusive nós, do Sistema AABB, conheçamos os riscos e saibamos o que é preciso fazer para não deixar o mosquito nascer.

Confira algumas dicas que podem ser adotadas na sua AABB, afinal, manter o clube limpo, adequado e seguro é uma significativa contribuição para preservação da saúde da comunidade.

1) Mantenha sempre a piscina limpa, inclusive com a escovação das bordas, filtragem diária por um período de 8 horas e a correta aplicação do cloro ativo na água, mantendo-a nos padrões recomendados (entre 0,5 mg/l e 0,8 mg/l de cloro disponível);

2) Coloque uma tela que cubra totalmente a piscina, de forma a evitar que a fêmea do mosquito deposite seus ovos nas paredes;

3) Ponha areia nos pratos dos vasos das plantas;

4) Faça furos nos pneus velhos ou que estejam sendo utilizados na decoração do clube. Os furos permitem que a água acumulada escorra, não ficando parada e, assim, evitando que o mosquito se reproduza;

5) Mantenha a caixa d’água sempre fechada e a limpe frequentemente com produtos específicos para a limpeza. Isso também vale para poços, cisternas e caçambas que acumulam água;

6) Remova folhas e galhos das calhas. Esses objetos, assim como outros (flores, pedaços de garrafa, etc.) impedem que água escoe e, então, se acumula. Verifique semanalmente o estado de calhas, canos e ralos;

7) Evite cultivar plantas aquáticas. A água das plantas aquáticas é limpa e propícia para a reprodução da dengue;

8) Mantenha latas, garrafas e outros vasilhames emborcados. Isso evita que a água da chuva se acumule e fique parada por muito tempo. O ideal é jogar garrafas, latas e latões fora ou não deixá-los expostos;

9) Preste atenção ao lixo. Muitos pensam que os lixos, por acumularem água suja, não apresentam perigo à dengue. Mas a verdade é que se há água acumulada, há a possibilidade de reprodução do mosquito. Assim, vede os sacos de lixo e não os deixe expostos.

Da mesma forma, no nosso ambiente familiar, vamos juntar esforços no combate a esse transmissor, implementando essas e outras ações de prevenção e multiplicando na comunidade a consciência de que a erradicação do mosquito tem que ser um compromisso de todos.

Contamos com a compreensão e, mais que isso, a colaboração de todos!